O Simples Método das Crianças que criou uma Inteligência Artificial e o Erro dos Métodos Tradicionais de Inglês…

E isso não tem absolutamente nada a ver com motivação ou coisa do gênero, é simplesmente para que fique clara a exata parte do inglês que vamos precisar estudar!

Vou te explicar!

Se o seu objetivo é se comunicar, o que precisa ser feito, é estudar somente o que importa para para se comunicar, ou seja… As palavras e as particularidades que você realmente vai utilizar para isso.

E usando o Meta-Learning, eu consegui reunir as exatas palavras que precisamos usar para isso, veja só:

No caso do inglês, cerca de 90% das conversas normais que temos, giram em torno de cerca de 2000 palavras…

Eu sei que de primeiro momento, 2000 palavras, parecem muita coisa, porém, no idioma inglês, existem mais de 170 mil palavras!

É exatamente o que você ouviu, de 170 mil palavras, nós usamos apenas cerca de 2000 para conversar!

Porém, usando o Meta-Learning, eu fui ainda mais fundo!

E descobri que dentro dessas 2000 existem as palavras que usamos com mais frequência ainda…

E são cerca de apenas 800 palavras! 

Ou seja, em matéria de vocabulário, inicialmente precisamos aprender apenas 800 palavras de mais de 170 Mil palavras!

Isso significa que precisamos aprender apenas 0,47% das palavras do inglês para nos comunicarmos em praticamente 100% das conversações!!!

Essa é a mágica desse método! 

E usando meus 10 anos de experiência, pude comprovar que realmente era necessário aprender apenas aquelas palavras para se virar em qualquer conversação com qualquer gringo!

E como uma informação de bônus, esse é na verdade o motivo das escolas de inglês tradicionais demorarem tanto tempo para te ensinar inglês…

Não é porque elas não sabem que são apenas 800 palavras, é justamente porque elas sabem, que elas demoram tanto!

Basicamente, o foco das escolas, é te segurar pagando mensalidades por anos, te ensinando TUDO, sem nenhum filtro e sem levar em consideração o seu objetivo com o inglês!

Como se o que você quisesse fosse se transformar em um dicionário ambulante...

Sendo que a maioria das pessoas, quer usar o inglês para viajar, estudar e trabalhar.

E em matéria de vocabulário, aprender somente essas 800 palavras já tornaria isso possível!

E o mais curioso é que independentemente de quanto tempo você passe estudando inglês, seja 2 meses ou 10 anos…

Você vai inevitavelmente acabar usando somente esses 0,47% do idioma para conversar! 

Então porque não cortar caminho e aprender logo essa parte?

Essa era a sacada master que aprendi ao usar o Meta-Learning!

Eu consegui chegar na parte mais simples e eficiente possível do que precisa ser aprendido para dominar o inglês!

Portanto, em matéria de vocabulário eu já tinha conseguido resumir o que precisava ser aprendido!

Agora era a hora de resolver a parte da gramática usando o Meta-Learning!

Afinal de contas, absolutamente ninguém gosta de aprender gramática, mas a pergunta era:

Será que é possível chegar em uma fórmula simples para a gramática?

Eu demorei semanas para chegar em uma resposta pra isso, mas sim, era possível!

E essa se tornou o 2º passo do que eu estava desenvolvendo!

Passo 2 - Estude a Estrutura do Inglês ao invés de Gramática!

A gramática é uma das coisas mais importantes do inglês, sem gramática você vai no máximo conseguir falar como o Mestre Yoda do Star Wars!

Não vou mentir para você…

Depois de mais de 10 anos apenas estudando inglês, se alguém tivesse me falado que 10 anos poderiam ter se transformado em 6 meses, eu jamais teria acreditado nisso…

Porém… Se você for parar para pensar, crianças não precisam de 10 anos para aprender alguma coisa…

Na verdade algumas não precisam de mais do que algumas semanas para aprender algo novo e gravar na cabeça de forma que aquilo não sai mais de jeito nenhum!

Elas não precisam de apostila, não precisam pagar mensalidades caras, não precisam de nada disso...

É quase como se na época em que éramos crianças, nós tivéssemos uma habilidade que simplesmente esquecemos quando nos tornamos adultos…

Na palestra, ele falou sobre as dificuldades que ele sempre teve com aprendizado de línguas e de como ele foi péssimo em espanhol na escola.

Porém, quando teve que ir para o japão e precisou aprender japonês na marra, usou um cartaz com letras japonesas que ele achou na rua e um estranho texto que falava sobre como cientistas ensinaram computadores a aprender como crianças!

Ele mostrou como usou um cartaz com letras japonesas e o texto para desconstruir o japonês, e entender exatamente quais partes do japonês ele deveria estudar e quais partes ele poderia ignorar…

E foi aí que ele disse, que descobriu mais tarde, que aquele texto falava sobre um método baseado em como as crianças aprendem chamado de Meta-Learning!

E o Meta-Learning era o segredo para aprender praticamente qualquer habilidade da forma mais fácil e mais rápida possível!

Utilizando isso, ele ignorou gramática, ignorou escrita, ignorou dezenas de regras e mesmo assim aprendeu japonês!

Ou seja, em vista de um professor tradicional, ele estava fazendo absolutamente tudo errado, mas mesmo assim, aprendeu mais rápido do que todo mundo!

Naquele momento da palestra, ele voltou a falar sobre outros assuntos, mas a única coisa que ficou na minha cabeça foi a palavra Meta-Learning!

Porque se ele usou isso para aprender japonês em 6 meses, aquilo talvez pudesse funcionar para aprender inglês mais rápido…

E foi exatamente o que fiz com ele, combinei que em 2 meses, com meu método, ele tentaria um novo emprego, onde a vaga obrigatoriamente exigir inglês e que uma parte da entrevista também seria em inglês!

E ainda fiz com um desafio ainda maior pra mim e pra ele…

As aulas não seriam presenciais!

Eu gravaria vídeos explicando o que ele tinha que fazer e ele só me passaria os feedbacks de tudo, e das dúvidas que tivesse com meu método!

E eu só ajudaria ele mesmo, com a condição de que em 3 meses ele teria que tentar a vaga de emprego que exige inglês!

E foi isso o que fizemos durante exatos 3 meses…

Primeiro liguei pra ele e expliquei como o método ia funcionar, até ele ficou chocado com a simplicidade do que eu mostrei pra ele!

Me lembro que ele me perguntou várias vezes: Mas professora, vai ser só isso mesmo?

Mas era só isso mesmo, o método era simples na essência!

Não tinha absolutamente nada de complicado nele e consegui explicar para o Rodrigo em uma ligação de 20 minutos como o método funcionaria…

Dali pra frente o único contato que ele teria comigo, seria por mensagens e assistindo meus videos curtos, todos os dias!

E foi assim por exatos 2 meses e meio!

Na metade do segundo mês, selecionei uma vaga de emprego pra ele, para o grau de escolaridade dele, porém que exigia inglês…

E o cargo era justamente em outra rede de cafeterias concorrente da rede que ele foi demitido por causa de uma colher!

Na verdade, a vaga era em uma das filiais brasileiras da maior rede de cafeterias do mundo!

E ele teria um grande desafio, porque a prova de contratação exigia conversação em inglês…

Selecionei a vaga, mandei pra ele e ele se candidatou…

A entrevista ficou para 4 dias depois, e agora era a prova de fogo, ele só ia ter meus vídeos, meu método e tudo o que ele conseguiu estudar sozinho usando o Meta-Inglês para tentar passar naquela entrevista!

No dia da entrevista fiquei extremamente apreensiva, e o Rodrigo demorou mais de 2 horas para conseguir responder minha mensagem falando sobre o resultado…

Quando eu vi as mensagens do Rodrigo, finalmente eu tinha em mãos a prova de que aquele método realmente funcionava!

Em apenas 3 meses, consegui preparar ele com vídeos curtos para uma entrevista de emprego em inglês e ele passou!

Ele conseguiu um emprego melhor do que o que ele tinha anteriormente, dentro de um mercado onde ele já tinha experiência, ganhando mais do que ganhava antes, simplesmente porque ele conseguiu literalmente "se virar" em uma entrevista!

Aquilo era a prova que eu precisava ter para saber que o Meta-Inglês funcionava!

Era realmente possível aprender inglês em 3 meses usando o Meta-Inglês!

Naquele mesmo dia, combinei de fazer uma nova ligação no skype com o Rodrigo e peguei com ele todos os feedbacks sobre meu método, onde ele mais sentiu dificuldade e tudo mais!

E percebi que ainda faltavam ajustes a serem feitos no meu método…

E esses pequenos ajustes levaram a uma estrutura perfeita para aprender inglês no menor tempo possível!

Pois o objetivo do meu método era ensinar alguém a falar inglês o melhor possível, no menor tempo possível…

E conversando com o Rodrigo em inglês, percebi que para atingir isso, meu método precisava de uma segunda fase de aprendizado!

Para que a pessoa não só aprendesse a se virar com o inglês, mas sim dominar qualquer conversação!

E o simples ajuste que eu fiz, fez com que meu método acelerasse o resultado de fala em mais de 3X e deixou ele com o poder que nenhum outro método que eu conhecia até então possuía!

O poder não só de falar inglês, mas de ganhar fluência em menos de 1 ano!

Portanto, independentemente do quanto você domine o inglês ou até mesmo se você não souber pronunciar nem a palavra Book em inglês…

Mas a idéia de aprender inglês em menos de 1 ano te parece interessante, eu vou te mostrar exatamente como conseguir isso usando o Meta-Inglês para destravar o inglês no seu cérebro!

>>> QUERO CONHECER O META-INGLÊS (CONTINUAR LENDO) >>>

Porque a verdade é que nós adultos quando vamos aprender uma nova língua, como o inglês, normalmente nós sabemos o que fazer, procurar uma escola e investimos caro no estudo na tentativa de aprender inglês…

Agora uma criança, quando está começando a aprender a falar, não pode nem ser ensinada por alguém, porque ela simplesmente não vai entender nada do que o professor fala…

Mas mesmo assim, quando uma criança chega no máximo aos 3 anos de idade, ela já dominou toda a estrutura básica de uma língua, já fala, entende e consegue conversar com qualquer um o suficiente pra dizer o que ele quer e literalmente "se virar"!

Tudo isso, ao mesmo tempo que aprende a andar, desenvolver coordenacão motora e etc...

Ou seja, tudo o que todo mundo que precisa aprender inglês quer, conseguir viajar pra fora por exemplo e não passar aperto nenhum!

Tudo isso, sem ninguém explicar pra ela qual é a estrutura de uma língua, gramática e etc..

Então será que existe uma forma de aprender alguma coisa tão bem e tão rápido quanto uma criança aprende?

Até aquele momento, eu acreditava que não…

Pelo menos era como eu pensava até ver que a forma como as crianças aprendem já tinha sido desvendada e o Timothy tinha juntado as peças desse método para aplicar no aprendizado de um idioma…

E isso ajudou ele a aprender japonês em apenas 6 meses!

No momento que vi aquilo, só consegui pensar: 

"Se isso é verdade, e eu tivesse que escolher entre um professor de inglês que levou 10 anos para aprender e um que aprendeu a mesma coisa em apenas 6 meses…"

Até eu escolheria o de 6 meses sem nem pensar 2 vezes!

Simplesmente porque a pessoa que levou apenas 6 meses para aprender, sabe de alguma coisa que a pessoa que levou 10 anos não sabe… 

Ou seja, um jeito mais simples e mais fácil de aprender a mesma coisa!

E para ajudar o Rodrigo e meus futuros alunos eu tinha que entender como aquilo era possível!

E a resposta disso me veio em uma palestras mais estranhas que vi em mais de 10 anos de contato com o aprendizado de uma nova língua, onde o Timothy, o cara que meu amigo me indicou, apresentou o método que ele usou para aprender japonês…

E ele conseguiu isso, fazendo absolutamente tudo errado!

De começo eu me senti um peixe fora d'água ali, mas quando a palestra sobre Meta-Learning começou, tudo ficou mais claro!

O Meta-Learning é tão poderoso, que foi através desse método, que os seres humanos conseguiram criar programações de computador para ensinar computadores a aprenderem sozinhos, exatamente como uma criança...

E como te expliquei, o Meta-Learning é o método que imita a forma como as crianças aprendem, ou seja, a forma mais simples possível, sem complexidades e sem aprender coisas desnecessárias…

Os cientistas de computação viram nisso a melhor maneira de ensinar uma máquina que se quer possui cérebro a aprender… 

E como nós já sabemos hoje em dia, funcionou!

E funcionou porque o Meta-Learning te força a ir pelo caminho mais simples e curto possível para aprender alguma coisa... 

Exatamente como uma criança faz, ou seja, o motivo dos computadores conseguirem aprender tão rápido, é porque eles aprendem como crianças!

Aquele evento terminou de abrir meus olhos para o que estava por vir!

Porque agora eu já tinha em mãos um ponto de partida para criar o que mais tarde seria o método que mudaria a minha vida como professora de inglês!

Com o Meta-Learning em mãos, eu passei meses depois de voltar para o Brasil, pegando tudo o que existia de mais complexo no inglês e transformando na coisa mais simples que eu conseguia.

E depois disso, depois de ter ido fundo na missão de simplificar o aprendizado do inglês, cheguei em 3 passos tão simples de entender, que até uma criança conseguiria perceber o poder daquilo!

Se esses 3 passos fossem seguidos à risca com o meu método, um aluno poderia aprender inglês em menos de 1 ano tranquilamente!

Passo 1 - Descubra o objetivo do seu estudo!

A primeira coisa que precisa ser feita antes mesmo de começar a estudar uma única palavra do inglês, é ter claro porque você quer aprender inglês!

Consegui usar o Meta-Learning para criar o que hoje chamo de Fórmula da Conversação!

Através dessa simples fórmula, é possível não passar aperto nenhum em mais de 90% das conversações em inglês!

Consegui desenvolver essa fórmula depois de analisar literalmente dezenas de conversações, tanto em inglês quanto em português para chegar na exata parte que faz diferença para conseguirmos nos comunicar!

No caso do inglês, tudo o que é necessário saber é quais palavras você quer encaixar na fórmula para cada situação…

Porque o funcionamento da fórmula é extremamente simples!

Basta saber sobre o que você quer falar e com quem, depois disso basta encaixar as palavras que você aprendeu no passo 1 dentro da estrutura da fórmula, e a frase sai praticamente pronta, basta falar!

E o melhor de tudo é que a fórmula é tão simples de entender, que isso tudo acontece no automático!

Quando consegui enxergar essa fórmula, reparei que se o aluno focasse apenas nela, não ia mais ter problemas de ficar tentando entender uma frase, porque a fórmula funciona como se fosse uma chave para a estrutura da conversação.

Ou seja, uma conversação em inglês ficaria tão simples de compreender, quanto uma em português.

Porém, eu ainda precisava resolver algumas lacunas que o Meta-Learning não resolvia…

O Meta-Learning era excelente para determinar o que estudar e simplificar as coisas, da mesma maneira que uma criança aprende, porém, ele não desenvolvia uma rotina lógica de estudos…

Portanto, o Meta-Learning em si, não era ainda a resposta definitiva para criar um método eficiente de aprendizado de inglês…

Eu ainda precisava de um modelo que permitisse a evolução progressiva e também desenvolver um tempo específico para que o aluno estudasse!

E dentro de um dos melhores livros que li sobre Meta-Learning, falava muito sobre a rotina de estudos dos poliglotas e auto-didatas…

E pesquisando a fundo, tive contato com um método europeu de gestão de tempo e progressão de estudos que se encaixou como uma luva no que eu estava construindo!

Uma técnica que fechava com chave de ouro o método que levei meses para criar, onde consegui definir o tempo de estudo do meu método para apenas 25 minutos por dia e nada mais!

E quando juntei todas as peças do método, percebi que tinha algo novo e grande nas mãos!

Algo que realmente tinha chance de funcionar para aprender inglês em questão de meses ao invés de anos, estudando pouco tempo por dia!

E por conta de todo o desenvolvimento que tive com o Meta-Learning e o uso das outras técnicas, percebi que o que tinha criado não era algo comum, eu tinha criado o que hoje chamo de Meta-Inglês!

O Meta-Inglês, não era só uma forma de aprender inglês mais rápido, era também uma maneira de entregar para a pessoa que quer aprender inglês, um mapa rumo à fluência!

Porque através do Meta-Inglês, era possível continuar evoluindo por conta própria, sem precisar de professor, depois que o aluno aprendesse a estrutura básica do Meta-Inglês!

Eu me lembro como se fosse hoje, a emoção que fiquei de ver o resultado de meses de pesquisa e desenvolvimento ali na minha frente!

O Meta-Inglês tinha se tornado realidade!

Agora tudo o que eu precisava fazer, era testar e ver se tudo o que eu tinha construído até ali realmente funcionava na vida real!

E foi então que me lembrei da pessoa perfeita para testar meu método!

O Rodrigo, que havia perdido o emprego por causa de uma colher!

No mesmo dia procurei o número dele no whatsapp e mandei mensagem!

Porém, o estudo da gramática como é feito dentro dos métodos tradicionais não tem foco nenhum em aprender a falar inglês no menor tempo possível…

E usando exatamente a mesma lógica para definir o objetivo do estudo e à partir disso saber a exata parte que precisa ser estudada, consegui encontrar o fio da meada da gramática!

Ou seja, consegui entender o que a parte que estava por trás da gramática, que se fosse aprendida, tornaria a gramática brincadeira de criança!

E essa parte se chama: A Estrutura do Inglês!

Quando cheguei nesse ponto do desenvolvimento do meu método de ensino, percebi que entendendo apenas a estrutura do inglês, não seria mais necessário estudar gramática da forma tradicional!

Eu vou te explicar:

Tenho certeza de que você se lembra da conjugação do verbo to be, não lembra?

I am, you are, he is, she is… E por aí vai…

Da mesma forma, você deve ter exercitado isso com vários verbos diferentes, até cansar…

E é justamente isso que à partir de agora, você não vai mais precisar fazer!

O que precisa ser aprendido é a Estrutura da Conjugação, porque assim, você não tem a necessidade de conhecer todos os verbos existentes, só precisam saber como conjugar!

Principalmente com relação ao inglês, que é uma das línguas mais fáceis de se conjugar que existem, pelo fato de ser sempre igual, como se fosse uma receita de bolo, funcionando para todos os verbos regulares e só não se aplica nos irregulares!

E só para você saber, segundo o dicionário Oxford, na língua inglesa, existem mais de 9000 verbos regulares, enquanto existem cerca de apenas 370 verbos irregulares,

E desses 370 verbos irregulares, menos de 50 são usados frequentemente…

E adivinha em quais verbos irregulares você deve se focar? Nos 50 mais usados, claro! 

Ou seja… 

É possível aprender inglês usando cerca de 2% do tempo todo mundo que estuda da forma tradicional…

Quando cheguei nesse resultado na minha pesquisa, já conseguia perceber o tempo que eu mesma teria economizado se tivesse descoberto o Meta-Learning antes…

Quanto tempo eu poderia ter passado aprendendo inglês em viagens ou mesmo assistindo filmes, ao invés de ficar presa dentro de uma sala de aula…

O que me consolava nisso, era que eu poderia ajudar agora outras pessoas a não passarem mais 10 anos presos nos métodos tradicionais!

E isso fez com que eu fosse ainda mais fundo na minha pesquisa para desenvolver o que viria a ser o 3º passo do meu método e ele mudaria tudo para sempre, inclusive se tornando algo mais eficiente para aprender inglês do que o próprio Meta-Learning!

Pois ao longo da minha pesquisa, descobri todos os benefícios do Meta-Learning, mas ficou claro pra mim também, as ineficiências do Meta-Learning, porém, continuei usando o método, até que uma nova luz surgiu no fim do túnel, quando finalizei o 3º passo:

Passo 3 - Não tente Decorar o Inglês, use a Fórmula da Conversação!

E o terceiro passo, foi o que fechou com perfeição o que levei literalmente meses de trabalho para desenvolver!

Porque de nada adiantaria saber o que estudar e entender a estrutura do inglês, se não existir uma "fórmula" onde você pode encaixar isso!

E usando o melhor que encontrei dentro de uma técnica antiga de prática de conversação, que não é mais usada no Brasil, justamente por dar resultados rápido demais...

E foi aí que comecei imediatamente a pesquisar tudo sobre Meta-Learning!

O que eu descobri, é que o Meta-Learning é o método mais eficiente para se aprender absolutamente qualquer coisa, inclusive um idioma!

Ele é tão eficiente e tão simples, que pode economizar anos de estudo!

Simplesmente porque através do Meta-Learning, é possível descobrir a parte exata do que você precisa aprender sobre um assunto!

Isso ficou claro pra mim em um exemplo sobre como dominar um dos maiores pesadelos que tive na vida: Matemática!

Com um texto minúsculo o Meta-Learning fez a matemática ficar simples pra mim pela primeira vez na vida, porque eu nunca fui bem em matemática na escola.

E a linha de raciocínio sobre como aprender usando Meta-Learning é muito simples de entender!

Por exemplo: 

Para resolver qualquer conta matemática extremamente complexa, como uma daquelas fórmulas gigantescas que vemos na escola no ensino médio, através do Meta-Learning, você não precisa aprender a fórmula!

Tudo o que você precisa saber é: Somar e Subtrair!

Nada além disso, para conseguir resolver absolutamente qualquer conta matemática que existe!

Simplesmente porque, qualquer conta pode ser resolvida apenas sabendo somar e subtrair!

Parece estranho, não é? Eu também achei no primeiro momento, mas vou explicar!

Sabendo somar e subtrair, você aprende a multiplicar, porque contas de multiplicação são apenas uma estrutura diferente para contas de somar e subtrair!

Por exemplo: se você pegar 2 x 2 nada mais é do que: 2 + 2 que é igual a 4 ou 2 x 4 que é igual a somatória de 2 + 2 + 2 + 2 que é igual a 8!

Você pode fazer o teste em casa resolvendo uma conta de multiplicação e você vai ver que para multiplicar, você só precisa saber somar e subtrair!

E é agora que o raciocínio do Meta-Learning fica incrivelmente poderoso!

Para resolver absolutamente qualquer fórmula e cálculo que existe, você só soma, subtrai, multiplica e divide!

Por isso, que essas operações são chamadas de: As 4 operações fundamentais da matemática!

Porque absolutamente tudo de matemática se resolve com isso!

A diferença na aplicação de uma fórmula complexa, é que a fórmula tem regras para se resolver…

Porém, se você souber somar, subtrair, multiplicar e dividir, você só precisa aprender as regras e você resolve qualquer conta matemática!

E para aprender as regras, qualquer pessoa que souber resolver aquilo, pode sentar do seu lado por 5 minutos, te explicar e você pode sair resolvendo a fórmula!

É simples assim!!!

E o mais incrível é que no caso da matemática, na essência, tudo o que você precisa saber para aprender matemática, é somar e subtrair, porque todo o restante surge disso!

Resumindo, o que o Meta-Learning faz, é simplificar alguma coisa ao máximo, de forma que se você aprender o coração daquela habilidade, o restante vai se encaixando com o tempo!

Quando eu entendi aquilo, a minha mente explodiu!!!

Porque era isso o que eu precisava fazer!

Eu precisava encontrar o que era a conta de Mais e Menos do inglês!

Ou seja, a exata parte do inglês, que se você aprender, todo o restante se encaixa nisso, quase como se fosse uma fórmula!

E o ideal é que essa fórmula ainda permitisse continuar aprendendo inglês quase que no automático!

E quando digo automático, falo de aprender em viagens, vendo filmes e séries, ouvindo músicas, lendo livros, enfim…

 Vivendo a vida ao invés de ficar preso dentro de uma sala de aula por 4, 8 ou 10 anos…

E graças ao meu amigo, agora eu tinha uma luz no fim do túnel para comprovar se realmente era possível desenvolver uma forma nova de aprender inglês!

E foi exatamente isso o que fiz, mergulhei novamente no estudo do inglês, como jamais tinha feito antes, e por conta do Meta-Learning, enxerguei tudo de forma diferente!

E as coisas que descobri, abriram meus olhos para a possibilidade real de ensinar inglês para alguém totalmente do 0 em no máximo 6 meses!

Ou seja, menos do que o tempo que pessoas aprendem apenas o básico em um cursinho de inglês super caro!

Naquele mês nos EUA eu quase não saí da casa do meu amigo, comprei todos os livros que consegui sobre Meta-Learning e participei até de um evento a respeito disso…

O que eu não sabia, era que o evento não era sobre aprendizado humano, era sobre Inteligência Artificial…